Veja a nova placa unificada do Mercosul

Licença começa a valer 2016; Brasil, Uruguai, Argentina, Paraguai e Venezuela adotarão nova identificação

Placa Mercosul - Reprodução

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) divulgou nesta quinta-feira (4) o novo modelo de placas que será usado no Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Venezuela a partir de janeiro de 2016. A resolução foi publicada no Diário Oficial da União. Segundo o órgão, a licença terá sempre quatro letras e três números, com distribuição aleatória. Dessa forma serão possíveis mais de 450 milhões de combinações.

De acordo com o Denatran, a placa terá as mesmas medidas das utilizadas no Brasil: 40 cm de comprimento por 13 cm de largura. Em termos de cores, será branca com letras pretas, com um emblema do Mercosul e a bandeira do país onde o veículo é registrado. Já a identificação do estado e do município do automóvel, no caso do Brasil, vão ficar no lado direito, abaixo da bandeira nacional.

Segundo o coordenador do Denatran, Rone Barbosa, “as novas placas permitirão um controle mais rigoroso do transporte de cargas, de passageiros e também de carros particulares entre os países do Mercosul, que adotaram o padrão de identificação dos veículos”. Atualmente, a frota circulante no bloco comercial é de cerca de 110 milhões de carros.

Projeto com carros elétricos traz economia de combustível em Curitiba

Prefeitura está usando 10 veículos, cedidos por montadora para projeto.
Em cinco meses, eles rodaram juntos 24 mil km, a um custo de R$ 1,2 mil.

Carros foram integrados à frota oficial da prefeitura (Foto: Cesar Brustolin/SMC)

Carros foram integrados à frota oficial da prefeitura
(Foto: Cesar Brustolin/SMC)

Um levantamento da prefeitura de Curitiba apontou que os 10 carros usados no programa Ecoelétrico tiveram uma economia no gasto com combustíveis de 82%, quando comparados ao que veículos a gasolina teriam gasto nos cinco meses de implantação do programa. Os veículos, movidos a eletricidade, não emitem poluentes e são uma parceria entre a prefeitura e uma montadora, que cedeu os carros para o programa.

Os veículos atendem a Guarda Municipal, Secretaria de Trânsito (Setran), Instituto Curitiba de Turismo e aos gabinetes do prefeito e da vice-prefeita. Conforme a prefeitura, a recarga das baterias, nesses cinco meses, custou cerca de R$ 1,2 mil. Juntos, os carros já percorreram 24 mil quilômetros. Se fosse com gasolina, o custo poderia alcançar cerca de R$ 5,2 mil, estima a administração municipal.

O projeto Ecoelétrico tem como objetivo buscar incentivos para o uso de veículos movidos a eletricidade no Brasil. A ideia é mostrar como esses carros podem proporcionar economia e menos poluição no meio ambiente. Nesses cinco meses, os cálculos apontam que os 10 carros deixaram de emitir três toneladas de gás carbônico (CO2) no ar. Esse gás é o principal responsável pelo efeito estufa.

358686502

Clássico: Golf conversível MK1 é perfeito para curtir os dias de sol

O Golf é um dos maiores sucessos comerciais da Volkswagen. Criado para substituir o Fusca, rapidamente ocupou o papel daquele que foi o carro do povo – porém equipado com motores refrigerados a água. A primeira geração vendeu quase 7 milhões de unidades, mas infelizmente as importações ficaram fechadas por aqui até a década de 1990. Desse modo o MK1 é bastante raro em nossas ruas, especialmente na versão cabriolet (conversível).